quarta-feira, 25 de maio de 2011

Sono,Insonia,Apnéia do sono,Ronco,

Cochilo depois do almoço favorece a memória e o coração

Bastam apenas 15 minutos para que o seu organismo se beneficie com a soneca

. Se para alguns o cochilo (aqueles poucos minutos de sono) não faz a menor diferença ou é sinônimo de preguiça, para a maioria é tão valioso que revigora o corpo e fortalece a memória.

O fato foi recentemente comprovado por pesquisadores da Universidade de Berkeley, na Califórnia (EUA), após testes feitos com 39 jovens saudáveis. Os participantes tinham que decorar cem nomes e rostos na hora do almoço. Em seguida, uma parte deles era liberado para dormir.

Às 18h, o grupo voltava e precisava decorar outros cem nomes e rostos. A conclusão do estudo foi de que os 20 jovens que tiraram uma soneca apresentaram desempenho 10% melhor na tarefa, o que apontou para um melhor funcionamento do cérebro após a soneca.

Mas será que todo o organismo se beneficia com o cochilo após a hora do almoço? O
MinhaVida conversou com os especialistas em sono, o pneumologista Denis Martinez, e o neurologista Shigueo Yonekura, do Instituto de Medicina e Sono, que mostram por que o cochilo faz bem para o corpo e para a mente

Cochilo hora do almoço

Almoço: horário nobre do cochilo
Ao contrário do que muita gente pensa, o sono que bate logo depois do almoço não é conseqüência da ação da alimentação no organismo e sim, um instinto natural do nosso organismo, que reage assim quando nossas reservas de energia caem.

"Fomos nos adaptando a correria dos tempos modernos e deixando de cochilar na hora do almoço, mas a sesta é tradicional em muitos países (principalmente nos países europeus) até hoje, por ser uma necessidade biológica do ser humano já que por volta deste horário, as reservas de ATP e glicogênio que nos dão energia sofrem uma baixa", explica Denis Martinez. "Nestes casos, o cochilo não indica nenhum tipo de distúrbio e não interfere na qualidade de sono à noite", afirma.

Mas e o papel da comida nesta história então?
Ela deixa nosso organismo um pouco mais lento já que o processo de digestão requer certo gasto energético para se concretizar, porém, este gasto é praticamente insignificante, o que explica a pouca relação da ingestão de alimentos e o sono na hora do almoço: "juntando a baixa de energia natural e biológica que sofremos na hora do almoço, com a pequena moleza típica da digestão, ficamos mais sonolentos, mas o processo digestivo interfere muito pouco na sonolência que sentimos", explica Denis Martinez.

insônia

Noites mal dormidas x cochilos constantes
Se por um lado o sono na hora do almoço é um processo natural e biológico, por outro, sua recorrência em outros períodos do dia de forma intensa, pode ser sinal de que você tem algum distúrbio do sono.

Em geral, pessoas que se sentem sonolentas ao longo do dia ou não se sentem descansadas depois da soneca, sofrem de insônia, apneia do sono ou algum distúrbio do sono, e como não conseguem repor a energia de forma suficiente durante a noite e até mesmo depois de um cochilo, continuam sonolentas.

"Quando isso acontece, o ideal é procurar um especialista e identificar o distúrbio, para manter a qualidade de seu sono e evitar o estado de soneca constante. Tem gente que acha que o cochilo atrapalha o sono à noite e na verdade não é assim que funciona. Muitas vezes, um simples e gostoso cochilo não atrapalha o sono, mas é um indício de que ele já não vai bem", explica Denis.

30 minutos depois, você já está pronto para outra!
Se já está comprovado que 15 minutos são suficientes para deixar nosso corpo em ordem, a média
de tempo que levamos para voltar ao estado normal depois do cochilo ainda é bastante discutível:

"alguns especialistas acreditam que apenas cinco minutos já são suficientes para a pessoa voltar a ativa numa boa depois do cochilo, já outros, explicam que este tempo depende da duração do cochilo. Se a pessoa cochilou mais de 20 minutos, deve demorar cerca de uma hora e meia para voltar ao normal. Acredito que uma média razoável são 30 minutos após a soneca", explica Denis.

Haja memória!
A parte do cérebro que mais trabalha ao longo do dia é exatamente a que está ligada a memória. Quando não dormimos bem, ela reflete o nosso cansaço, e é por isso, que em geral, pessoas sonolentas não conseguem focar sua atenção e muito menos se lembrar de algo.

O sono funciona para nós seres humanos como um repositor de energia. Durante a noite, enquanto dormimos, repomos nossas energias através da produção de ATP e glicogênio, que abastecem nosso organismo para o dia seguinte: "se a pessoa não dorme, se sente muito mais cansada e desatenta porque está com suas reservas de glicogênio e ATP em baixa.
Quando cochilamos por cerca de 15 a 20 minutos, conseguimos ativar este mecanismo de forma a repor parte das energias perdidas ou que não foram repostas durante a noite", explica Denis.

Memória e concentração: além do cansaço e da irritabilidade, a pessoa que sofre de insônia também apresenta dificuldades de concentração e memorização de fatos recentes.

Para Shigueo Yonekura, isso acontece porque interrompemos um processo natural de memorização e aprendizado.
"É durante o sono que gravamos o que aprendemos ao longo do dia. Se o sono falha, a memória e a concentração ficam prejudicadas", diz.

15 minutinhos que valem ouro
Se você é do tipo que acha sinal de preguiça tirar uma sonequinha na hora do almoço, preste atenção em alguns dos benefícios que ela traz a saúde:

-Fortalece a memória

-Diminui os riscos de ataques cardíacos

-Confere mais disposição e energia

- Aumenta a concentração, reduzindo acidente

Aumenta a sua produtividade no trabalho


cochilo

Consequências para a saúde de quem não dorme bem
-Obesidade: "durante a noite produzimos a leptina, um inibidor natural de apetite. Quando não dormimos, cai a produção deste hormônio e a pessoa fica mais propensa a ganhar peso", explica Shigueo.

-Envelhecimento precoce e dificuldade de crescimento: Shigueo explica que é também durante o sono que produzimos o GH, hormônio do crescimento, responsável pelo crescimento do nosso corpo e pela elasticidade da nossa pele.

-Baixa de testosterona: outra consequência da insônia, para os homens, é a baixa da produção de testosterona, diminuindo a libido. "É durante o sono que repomos muitos de nossos hormônios, se dormimos mal, deixamos de produzi-los de maneira natural", finaliza Shigueo

Dormir pouco afeta mais as mulheres do que os homens

Durante o sono, surgem alterações que aumentam riscos de problemas cardíacos

Pesquisas já comprovaram que poucas horas de sono aumentam as chances de apresentar problemas cardíacos. A novidade é que esse risco é ainda maior para as mulheres que dormem pouco. Pesquisadores do University College e da Universidade de Warwick, de Londres, concluíram que os níveis dos marcadores inflamatórios, utilizados na identificação de doenças cardiovasculares, variam entre as mulheres no período de sono - o que não acontece com os homens.

A pesquisa foi baseada em dados de 4,6 mil funcionários públicos de Londres, com idades entre 35 e 55 anos. Foi diagnosticada uma alteração na molécula interleucina-6 (IL-6), conhecida por desencadear inflamações, nas participantes que dormiam menos de sete horas por noite. As mulheres que dormiam menos de cinco horas apresentaram maiores níveis da proteína C, molécula ligada a problemas cardíacos.

No entanto, Michelle Miller, pesquisadora da Universidade de Warwick, explica que mais pesquisas são necessárias para verificar a interferência que o sono provoca nas mulheres. "As diferenças nos níveis hormonais podem ser a chave para descobrir esse processo", completa a pesquisadora.

Tratamento grátis cura distúrbios do sono

Insônia ou sonolência excessiva merecem atenção especial

Dores de cabeça pela manhã, sonolência durante o dia, insônia, bruxismo e apnéia são sintomas de distúrbios do sono que não podem passar despercebidos, pois, caso não sejam tratados, resultam em outros problemas, como perda de memória, falta de concentração e oscilações no humor.

Para diagnosticar e tratar esses distúrbios, é feito um estudo do sono. O paciente passa a noite em um quarto ou laboratório preparado para monitorar as funções cardíacas e respiratórias, bem como a movimentação dos olhos e do corpo, para que sejam avaliados os estágios do sono.

Serviço
A Universidade Nove de Julho oferece atendimento gratuito no Laboratório do Sono, com foco no diagnóstico e tratamento dos distúrbios durante o sono. Durante o período noturno, são disponibilizados dois leitos para que o paciente fique em observação.

"Além de beneficiar a comunidade, que pode ter acesso a um exame sofisticado e o diagnóstico de uma doença até então desconhecida, o estudo dos distúrbios do sono na UNINOVE é fundamental para o desenvolvimento de alunos de graduação, pós-graduação e professores que podem ter contato com pacientes tanto durante o exame, quanto no acompanhamento terapêutico, tendo assim, uma formação adequada para a qualificação profissional", explica o Prof. João Carlos Ferrarui, diretor do Mestrado em Ciências da Reabilitação.

Os interessados em participar do atendimento devem entrar em contato de segunda a sexta-feira, das 9 às 19hrs, pelo telefone 3665-9325 ou diretamente na universidade, localizada na Av. Francisco Matarazzo, 612, Água Branca, São Paulo.

Acabe com os mitos sobre o ronco

A visita ao dentista pode gerar resultados para o distúrbio

O distúrbio do sono que mais incomoda cônjuges, parceiros, filhos ou até mesmo - nos casos mais graves - vizinhos, é sem dúvida o ronco. Depois de muita reclamação, as pessoas que roncam demais buscam saída em médicos otorrinolaringologistas, quando, na maioria dos casos, a solução está na visita a um dentista. Esse desconhecimento é comum, pois a Odontologia do Sono ainda não é tão disseminada nos pacientes que sofrem de ronco. Mas este cenário já está mudando. Vamos aproveitar este espaço para desmistificar algumas crenças a respeito o ronco, e também para esclarecer algumas verdades sobre este mal.

O ronco é mais freqüente em quem dorme de barriga para cima
Não necessariamente. De barriga para cima, os músculos tendem a obstruir a garganta com maior facilidade aumentando a dificuldade da passagem do ar e as chances do ronco. Mudar de posição pode ajudar a resolver o problema nos casos mais leves. Na maioria das vezes o ronco acontece em qualquer posição. Como o ronco pode gerar consequências graves, a mudança da posição não deve ser considerada com tratamento sem a indicação de um especialista.

Roncar separa casais
Verdade. Os cônjuges sofrem com o barulho e acabam tendo insônia, passando o dia cansados, sonolentos, com todas as consequências de uma noite não dormida. Imagine isso, repetidamente, durante anos. Na maioria dos casos, os casais passam a dormir separados.

Roncar é sinal de sono profundo
Mito. É exatamente o contrário, quem ronca não dorme bem, não atinge sono profundo, não tem sono reparador, não relaxa e não descansa. Pode ainda ter apneia do sono.

Roncar pode causar disfunção erétil
Verdade. O corpo do roncador, por não descansar bem, acaba perdendo energia e causando mais cansaço. Essas condições podem levar a problemas de ereção, desde que tenha apnéia do sono.

O ronco pode causar apneia
Verdade. Roncar não é normal e é sinal de apneia do sono (falta de ar por mais de 10 segundos).

Apneia é perigoso
Verdade. A apneia fragmenta o sono e altera os níveis de oxigênio no sangue gerando conseqüências graves para a saúde e a qualidade de vida como: hipertensão e problemas cardiovasculares, cansaço e sonolência diurna, depressão, irritabilidade, diminuição da concentração e do raciocínio, diminuição da libido e impotência sexual; e ainda aumenta muito a chance de acidentes no trabalho e no trânsito.

O ronco é um distúrbio de saúde e do sono de natureza crônica e pode ser tratado com um aparelho oral.

Ronco não tem solução
Mito. O ronco é um distúrbio de saúde e do sono de natureza crônica e pode ser tratado com um aparelho oral de eficácia comprovada. O aparelho estimula a musculatura da língua, da garganta e do céu da boca, impedindo o estreitamento e fechamento da via aérea quando respiramos. Dessa forma o ronco é controlado e o indivíduo não desenvolve as conseqüências do ronco.

O ronco pode causar problemas cardio-vasculares
Verdade. Hoje sabemos que só o ronco, mesmo sem apneia, pode gerar problemas na artéria carótida por causa da vibração frequente dos músculos do canal de passagem do ar, acontecer muito perto da carótida. A carótida pode ficar calcificada e pode acontecer o acidente vascular cerebral, o derrame.

O dentista do sono é o especialista mais indicado para solucionar o ronco
Verdade. A placa ou aparelho intra-oral é um ótimo tratamento para o ronco quando bem realizado e bem acompanhado pelo especialista. O aparelho mudará o relaxamento dos músculos da garganta e manterá as vias aéreas abertas para a passagem do ar.

Como se dá o tratamento do ronco
Por incrível que possa parecer, próteses ou aparelhos nos dentes feitos especificamente para o paciente com distúrbios do sono, são métodos altamente eficazes para eliminar o problema. Primeiramente, peço um estudo detalhado que pode ser feito em Clínicas de Exame do Sono, cujo responsável é um médico do sono. Com esse diagnóstico, temos condições de saber os níveis de ronco e se existem outros distúrbios do sono presentes, como a própria apneia ou o bruxismo do sono. O aparelho oral é confeccionado de acordo com o tipo de arcada dental de cada indivíduo. Existem vários tipos de aparelhos, escolhidos após uma avaliação das condições orais e faciais que incluem um exame odontológico completo da boca, dos dentes e gengivas, dos músculos da face e da mastigação e articulação da mandíbula - a ATM. Com o aparelho, o ar vai passar por uma garganta ou via aérea mais aberta, livre da resistência provocada pelo relaxamento dos músculos aumentados nos indivíduos com ronco e apneia do sono.

Como se dá o tratamento do ronco
Por incrível que possa parecer, próteses ou aparelhos nos dentes feitos especificamente para o paciente com distúrbios do sono, são métodos altamente eficazes para eliminar o problema. Primeiramente, peço um estudo detalhado que pode ser feito em Clínicas de Exame do Sono, cujo responsável é um médico do sono. Com esse diagnóstico, temos condições de saber os níveis de ronco e se existem outros distúrbios do sono presentes, como a própria apneia ou o bruxismo do sono. O aparelho oral é confeccionado de acordo com o tipo de arcada dental de cada indivíduo. Existem vários tipos de aparelhos, escolhidos após uma avaliação das condições orais e faciais que incluem um exame odontológico completo da boca, dos dentes e gengivas, dos músculos da face e da mastigação e articulação da mandíbula - a ATM. Com o aparelho, o ar vai passar por uma garganta ou via aérea mais aberta, livre da resistência provocada pelo relaxamento dos músculos aumentados nos indivíduos com ronco e apneia do sono.

Apnéia do sono é o pesadelo de quem dorme mal

O ronco é o principal sintoma da doença, que já atinge 25% da população entre 40 e 60 anos

Ao sofrer de insônia, obviamente, a moleza aparece para denotar um sono mal concluído, mas agora o caso é mais sério, de preocupação com a saúde.

O fato deve-se à existência de uma doença que, segundo a Sociedade Brasileira do Sono, já atinge 25% da população entre 40 e 60 anos: a

Síndrome da Apnéia Obstrutiva do Sono. A doença é caracterizada por pausas repetidas de 10 a 30 segundos na respiração de uma pessoa que está dormindo. O ronco, muito comum em quem sofre de apnéia, é interceptado por estas paradas na respiração que podem ocorrer até cinco vezes em uma hora de sono -, o que leva o indivíduo a acordar assustado e retomando o ar.

A deficiência na oclusão dental e as deformidades de posicionamento da mandíbula e maxila acarretam o estreitamento das vias aéreas. Assim, o ar, como entra com mais dificuldade, faz com que a pessoa ronque mais. Este quadro, de roncadura e má posição do esqueleto facial inferior, é um prato cheio para, quando analisado por um especialista, ser diagnosticado como apnéia do sono.

É muito importante a avaliação especializada e um correto diagnóstico, pois tais alterações maxilomandibulares somente são passíveis de correção por meio da cirurgia ortognática, que irá reposicionar os maxilares e criar uma via aérea permeável e livre , destaca o cirurgião buromaxilofacial e especialista em cirurgia ortognática Otavio Cintra.

A doença atrapalha de noite, mas pode ser sentida durante o dia também. Cefaléia matutina, cansaço, falta de atenção, baixo rendimento no trabalho, alteração de humor, fadiga, dificuldades em concentração, perda de memória e libido e sonolência excessiva são prejuízos freqüentes de uma noite mal dormida.

Este último, por sua vez, se agravado, pode incapacitar o indivíduo de participar de situações ativas como reuniões, conversas, idas ao teatro ou cinema. Isso porque a sonolência extrema faz com que a vontade de dormir não espere até chegar em casa. Além disso, a apnéia pode gerar outros malefícios à saúde, como doenças cardiovasculares, hipertensão arterial e depressão, dentre outros.

A doença pode aparecer por diversos motivos: obesidade, anormalidades endócrinas ou craniofaciais, como aumento do tecido mole e tecido linfóide da faringe, obstrução nasal, como hipotireoidismo e também devido ao histórico familiar.

Uma medida fácil que pode ser feita em casa em frente a um espelho é o Teste de Mallampati. Ao abrir bem a boca, tente ver a úvula (sininho). Caso não consiga visualizá-la procure um médico, pois pode ser sinal de apnéia do sono.

Definitivamente não é normal roncar e ter momentos de falta de ar durante a noite. Se notado algum sintoma é imprescindível iniciar rapidamente o tratamento e preservar a qualidade de vida , reforça Otavio Cintra.

Ronco, ouça o que esse barulho quer dizer

Em alguns momentos pode haver uma obstrução que interrompe a respiração e provocar microdespertares. Essa é a forma mais comum de apnéia, um mal que atrapalha o sono e pode elevar a pressão arterial. "A longo prazo, a apnéia pode desencadear doenças cardiovasculares", previne a neurologista Dalva Poyares, do Instituto do Sono, da Unifesp, em São Paulo.

A apnéia atinge mais homens, geralmente os de meia-idade, e obesos. A explicação é simples. Com o passar dos anos, a musculatura da garganta se torna mais flácida e assim mais propensa à vibração e à obstrução. Além disso, quando engordam, os moços ganham volume no abdômen, no tórax e no pescoço. Ou seja, na parte superior do corpo. A gordura nessa região espreme o tórax e as vias aéreas, o que compromete a respiração. Já as mulheres engordam nas pernas, nos quadris, no abdômen, na cintura e nos glúteos regiões que não comprometem tanto o sistema respiratório.

Estar acima do peso é um dos fatores de risco da apnéia, embora os magrinhos não estejam livres desse mal. De acordo com a neurologista Dalva Poyares, 20% dos pacientes que passam pelo Instituto do Sono não são obesos e cerca de 6% têm Índice de Massa Corpórea (IMC) menor que 25, ou seja, possuem peso normal. Não consegue emagrecer? Saiba que a apnéia também gera dificuldades para perder quilos, pois altera a produção da leptina e da grelina, duas substâncias que regulam o apetite.
É hora de ir ao médico?
Se você ronca muito alto, tem dores de cabeça, falta de disposição e sonolência ao longo do dia, não importa quantas horas tenha descansado, está na hora de procurar um médico. O exame de polissonografia vai mapear o comportamento do sono durante à noite.

A apnéia pode ser leve (5 a 15 paradas respiratórias por hora de sono), moderada (16 a 30) ou acentuada (31 para cima).

Nos casos mais leves costuma-se usar um aparelho bucal, que desloca a mandíbula e a língua de 5 a 7 milímetros para a frente, aumentando a distância entre a língua e a faringe. O CPAP (sigla em inglês para pressão nasal aérea positiva contínua ) é indicado para apnéias graves.

Trata-se de uma máscara colocada ao redor do nariz. Ele empurra o ar vindo de um compressor e forma uma espécie de colchão na garganta. Assim, as vias aéreas não se colam. Apesar de menos recomendado, há também o procedimento cirúrgico. É uma cirurgia cara e poucos médicos realizam no Brasil, mas obtém 90% de sucesso , explica a médica do Instituto do Sono.

Sono tranqüilo

Siga nossas dicas e descubra como é delicioso dormir silenciosamente.

1. Use uma bolinha de tênis, colocada dentro de uma meia e costurada nas costas do pijama. Ela forçará você a dormir de lado, posição mais eficaz para evitar o ronco e a apnéia.
2. Emagreça.
3. Dispense os tranqüilizantes para dormir
4. Não coma antes de se deitar.
5. Evite bebidas alcoólicas antes de dormir.
6. Não faça exercícios físicos à noite.
7. Coloque calços sob cabeceira da cama para erguê-la de 10 a 15 centímetros.


.


Não deixe de receber nossa revista eletrônica, adicione
o email

minhavida@minhavida.com.br

à sua lista de contatos.










sábado, 21 de maio de 2011

ICEMAT - Instituto dos Cegos de Mato Grosso


Tenho alunos e trabalho também em um Inst. de Cegos.
A escola tem vários projetos.
Várias atividades.
Também tem uma banda. Eles cantam, tocam muito bem!
Fazem apresentação dentro da cidade, fora.Inclusive até fora do estado já foram.
É só chama-los. Acessar: www.icematmt.org.br

email- icemat@ig.com.br

Na intituição temos:


Laboratório de informática
Salas de ensino itinerante
Salas de alfabetização - braille
Sala de música
Quadra poliesportiva
Salão de eventos
Rádio em breve
Sala de A.V.D.
Biblioteca adaptada
Refeitório
Academia
Sala de vídio
Sala de estudos.



Caso alguém precisa estudar é só procurar a escola . Tem o endereço eletrônico acima.